Não adianta “TER” se você não souber “SER”

Tempo de leitura: 3 minutos

Olá amores!
Quem aqui não ama abrir aquele presente(embrulho) que acabou
de receber? Quem não ama abrir aquela caixa de sapato novo? Ou comprar aquela
blusa que você tanto queria? Todos aqui amam comprar e receber coisas/presentes
novos. Não é mesmo?
Mas, quando paramos para observar o nosso comportamento isso
logo passa. Temos aquela euforia em ganhar ou comprar coisas novas e vem aquela
sensação de felicidade. Mas, é momentâneo. A novidade passa rápido, quase da
mesma maneira que chegou. Aquele momento da emoção logo acaba e tudo volta a ser
como era antes.
A medida que ganhamos mais dinheiro queremos mais coisas,
queremos comprar mais, sair mais, o padrão de vida muda quando o nosso salário
muda também. Todos sabem disso.
Qual o sentido que essas coisas trazem para sua vida? Qual o
objetivo de ter tantas coisas materiais? Isso muda sua auto estima? Muda sua
maneira de se relacionar com algumas pessoas?
“TER” determinadas coisas te faz sentir superior?
Eu na fase da adolescência passei boa parte do tempo morando
na casa de uma tia, pois a minha mãe foi morar na casa de minha avó, pois ela
estava muito doente e como a minha mãe não trabalhava fora ela ficou
responsável por cuidar de minha avó. Sendo que, eu tinha total liberdade para
comer o que eu quisesse lá e da família toda (parte de mãe) era a casa que eu
me sentia mais à vontade para ficar pois, eu sabia que podia comer tudo o que
tivesse lá sem distinção de pessoas, já em outros lugares se eu ficasse saberia
que seria diferente.
Mas, voltando ao assunto… Lá eu convivia com mais
pessoas mais ou menos da mesma faixa etária que eu e essas pessoas tinham
muitas coisas, muitas roupas e saíam para muitos lugares enquanto eu ficava lá
dentro de casa por não ter a mesma condição financeira dessas pessoas. Eu
ficava muito frustrada e não queria que isso continuasse, era uma desigualdade
social muito grande e eu acabava ficando “reservada” por não poder acompanhar o
estilo de vida que os outros viviam, até que chegou um momento que eu peguei
minhas coisas e vim para casa (eu era bem novinha) pois, falei que não ficaria
mais na casa de ninguém, então eu passava o dia em casa e a noite eu dormia na
casa de uma vizinha (agradeço demais a ela por ter me acolhido em sua casa por
muito tempo dormindo lá rs).
Com o passar do tempo eu fui vendo que “TER”
muitas roupas no guarda roupa, sair para todos os lugares possíveis, ter um par
de sapatos para cada ocasião não é primordial em nossa vida. Não importa a
quantidade de coisas que você acumula na sua casa, no seu guarda roupa o mais
importante é saber que existe outras pessoas que precisam mais do que você. É
saber que “SER” é melhor do que “ter”.

“Menos vaidade, mais prazer!”

O mais importante é não acumular espaço dentro de si, coisas
superfluas que com o tempo se tornam lixo e que não agregam aquele valor que
você precisa.
Ficamos tão ansiosos em ter o carro do ano, a casa mais
arrumada, ter muitos móveis e esquecemos que não é isso que nos faz feliz. Pois,
quando compramos ou ganhamos algo vem aquela emoção mas, que daqui a pouco
passa.
Nada que compramos nos dará felicidade verdadeira, o que realmente nos fará felizes é o que não podemos comprar. O que fica são os bons momentos que vivemos e passamos juntos de quem amamos.
Não adianta “TER”muitas coisas se você não souber “SER”.
E para você, o que é mais importante e o que de simples te faz feliz? te faz aqbrir aquele sorriso e alegra seu coração.
Deixe aqui nos comentários que eu vou gostar de saber.
Beijos e até mais!

 

34 Comentários

    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, é verdade. Acumular objetos não nos leva a lugar nenhum.
      É melhor ser do que ter. Sempre comprei muitos livros mas, sempre acabo de ler um para comprar outro.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Minha linda é verdade, ficar ansiosa nos impede de aproveitar ótimos momentos que estão a nossa volta. Temos que treinar nossa mente e viver o hoje.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, você disse tudo. O que temos de mais precioso é nossa essência, a maneira que escolhemos viver é que faz toda diferença.
      Beijocas.

      Responder

  1. Com certeza, o "ter" te traz só uma alegria momentânea e o "ser" te completa pra sempre. Sendo sincera, eu sou muito mais regida pelo "ter", e sim sei que não deveria ser assim. Mas é tão mais fácil 🙁 Acho que uma vez que a gente se desprende das coisas materiais a vida fica muito melhor 🙂

    Beijos
    http://tipsnconfessions.blogspot.com

    Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá lindona, é verdade. Se conseguimos viver da nossa essência e do que temos necessidade seremos mais felizes. Mas, muitas vezes o “ter” toma conta. Porém, tem solução rs
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, é verdade perdemos muitos momento maravilhosos por não agir da forma correta, por não aproveitar o momento e as pessoas ao nosso redor.
      Beijocas.

      Responder

  2. Adorei a reflexão, Vanessa! Gosto de ter comprar e ter coisas novas? Gosto! Mas não dá para consumir desenfreadamente… Como você disse, o que é mais importante é o que somos 🙂 E, bom, no meu caso eu prefiro guardar o suado dinheiro para viajar e ter novas experiências, que só agregam a quem eu sou! 😀

    Um beijo! ♥
    http://www.daniquedisse.com.br

    Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Minha linda você disse tudo. Também amo guardar o dinheiro tão suado para conseguir para viajar e agregar valor ao que somos, além disso é algo que me faz mais feliz do que comprar coisas novas.
      Beijocas.

      Responder

  3. Amei seu post, tem várias coleguinhas minhas que precisam ler seu post viu? Porque se acham só por ter poder aquisitivo e serem esnobes, mas eu acredito que a essência da vida não é só isso.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Verdade Leide, a essência é muito mais que isso. Ter é algo do momento, a euforia passa e você só fica feliz se comprar outra coisa nova e isso vai desenfreando o consumismo, que no final acaba com a gente e o nosso bolso.
      Ser é melhor que ter.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, é verdade ter não é tudo. Podemos ser bem mais felizes desapegando e vivendo o que realmente importa.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, é verdade. O melhor é ter essas coisas que falaste, são as coisas que precisamos.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, fico feliz em saber que gostou. Temos que a cada dia treinar a nossa mente para viver melhor.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      É verdade lindona, quanto mais temos mais queremos. Quanto mais ganhamos, mais gastamos. Temos que treinar e moldar a nossa mente para saber o que realmente é importante.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Ju minha linda, é verdade. Aprendemos muito com a vida e com nossas experiências. De certa forma isso nos ajuda a saber que ter muito não é tão importante.
      Beijocas.

      Responder
    1. Vanessa Ferreira

      Olá minha linda, antes ser do que ter. Vamos nos amar e viver e saber apreciar os momentos, pois uma hora não teremos mais isso.
      Beijocas.

      Responder

  4. Você tem toda razão. O que importa é o que você é, afinal aquilo que você tem uma hora acaba, se desfaz e ai o que sobra é o que somos né?
    Amei o texto, parabéns pela reflexão.
    Beijos

    Responder
  5. Adriane Melo

    Adorei sua reflexão, eu sempre pensei assim e penso até hoje, de nada vale ter tantos bens materiais se você não sabouber ser uma boa pessoa.

    Responder

  6. Vanessa que reflexão maravilhosa, ganhar coisas é muito bom mesmo, o que não podemos é deixar que essas coisas venha influenciar a nossa vida ser em primeiro lugar em nós. Vamos colocar nós sempre em primeiro lugar, as outras coisas fica pra depois.

    Responder

  7. Teu texto me chamou a atenção desde o título e a medida que fui lendo, fui relembrando os motivos que me levaram a decidir por ter um estilo de vida mais minimalista. E não me arrependo de ter feito essa escolha. Dar valor ao que tem valor é a chave. Parabéns pelo excelente e bem elaborado post.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *